A assinatura para a construção de um sistema de abastecimento de água em Rio do Pires e a inauguração de um trecho de 22 quilômetros da BA-156, em Botuporã, foram o motivo da ida do governador Jaques Wagner à Chapada Diamantina. Em Botuporã, o governador e o secretário da saúde, Jorge Solla, visitaram também as ações do programa Saúde em Movimento, que seguem na cidade até o dia 9 de agosto, na Escola de Educação Infantil Pro-Infância.
Foto: Divulgação / Manu Dias / Secom

“Fizemos serviço completo aqui para a região, as cirurgias já estão acontecendo por meio do Saúde em Movimento, entregamos a estrada de Botuporã. Em breve vamos entregar mais uma, e assinei a ordem de serviço para a construção do sistema de abastecimento de água que vai atender Rio do Pires e também outras localidades como Ibiajara”, afirmou Wagner.

Em Botuporã, foi entregue ainda a pavimentação no povoado de Boa Vista, com área total de quase cinco mil metros quadrados e investimento de R$ 300 mil. O trecho da BA-156, que liga a sede de Botuporã aos povoados de Taquaril e Comunidade do Poço, foi completamente asfaltado e sinalizado. Pelo local, circulam em média 432 veículos, diariamente. Com investimento de mais de R$ 11,5 milhões, as obras beneficiam 150 mil moradores.
Foto: Divulgação / Manu Dias / Secom

O vendedor Marcio Novaes Silva aprovou. “A estrada era ruim demais, por ser uma serra não trafegava veículos, apenas a pé ou com animais. A estrada facilita muito o deslocamento para os povoados”, disse o morador.

Saúde em movimento

O programa atende prioritariamente pessoas com mais de 60 anos e alunos do Programa Todos pela Alfabetização (Topa). Desde 2009, quando foi iniciado, o Saúde em Movimento já realizou mais de 85 mil cirurgias de catarata no estado. O fato agrada o senhor Antonio Francisco Santa, que só descobriu a doença após a consulta, em Botuporã. “Eu não enxergava direito, mas não sabia que tinha catarata, descobri ontem aqui. Hoje vou fazer a cirurgia e estou muito feliz em poder voltar a ler”.

Ao serem atendidos, os pacientes passam por consulta ambulatorial e exames e, se for diagnosticada a catarata, são submetidos à cirurgia. “A expectativa é realizar sete mil consultas oftalmológicas e 1.500 cirurgias de catarata. Em três anos de programa, já fizemos mais de 800 mil atendimentos oftalmológicos gratuitos para os baianos”, disse o secretário de Saúde, Jorge Solla.

Informações da Secom-Bahia.

Anúncios