Os médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Macaúbas, na Chapada Diamantina, estão há seis meses sem receberem os salários. Entre os profissionais, dois são concursados e os demais ainda enfrentam contratos precarizados. Apesar do longo tempo de atraso salarial, os médicos continuam prestando atendimento normalmente, segundo o Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed). A entidade encaminhará a denúncia ao promotor público da cidade, ao Ministério Público e à Secretaria de Saúde, cobrando providências. Caso os salários não sejam pagos, mesmo com a intervenção do sindicato, os médicos ameaçam paralisar as atividades, afirma o Sindimed em nota.

Foto: Macaubas On Off
Foto: Macaubas On Off
Anúncios