As eleições municipais deste ano de 2016 vêm com uma peculiaridade em relação ao modo de financiamento das campanhas. Está proibida a doação por parte de empresas e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) limitou os gastos de campanha. No caso de Macaúbas, os candidatos à prefeitura podem gastar até o limite de R$ 192 mil na corrida eleitoral. Em levantamento feito pelo Correio Macaubense, o candidato do PT, Amélio Costa Júnior é quem mais possui, até o momento, recursos arrecadados entre doações de pessoas físicas e repasses do seu próprio partido, advindos do Fundo Partidário.

10968349_1543254252621632_5437477651760885539_n

Da receita total de R$ 59,3 mil do candidato petista, R$ 40 mil foram destinados pelo PT. O restante da sua arrecadação está distribuído em R$ 14,7 mil do próprio candidato; R$ 3 mil doados por José Lima de Souza; e R$ 1,6 mil doado por seu candidato à vice, Waldomiro Sobrinho Moia. Até esta quarta-feira (21), o prefeiturável petista não havia informado ao Tribunal Regional Eleitoral os gastos de campanha.

 

14022087_857974687669530_9022460697606514342_nCandidato pelo PMDB sob apoio da atual gestão, Neto Nogueira tem R$ 36,5 mil arrecadados. Do montante, R$ 30 mil foi doado pelo seu próprio partido; R$ 3 mil por Aflânio Lima Dias; R$ 2,5 mil por Nelson Antônio de Sousa Filho; e R$ 1 mil por Luís Gustavo Batista Pinto. No cadastro do peemedebista no TRE também não consta lançamento de despesas de campanha.

Anúncios