page
Fotos: Wellington Novais/Reprodução

A Câmara Municipal de Macaúbas, no sudoeste baiano, aprovou na manhã desta terça-feira (1º), em segundo turno, a revogação das duas leis que aumentavam os subsídios dos vereadores, prefeito, vice e secretários municipais a partir de janeiro de 2017. Agora, os projetos aprovados por unanimidade no Legislativo seguem para sanção do prefeito José João Pereira (PSB).

A decisão dos vereadores em voltar atrás ocorreu depois que a população se revoltou contra as leis que reajustavam os subsídios dos legisladores de R$ 6.010,00 para R$ 10.100,00; prefeito de R$ 14 mil para R$ 19.600,00; secretários de R$ 4 mil para R$ 5,6 mil; e vice-prefeito de R$ 7 mil para R$ 10,3 mil.

Agora, o Movimento Todos Por Macaúbas, que liderou os protestos contra os aumentos considerados imorais, reivindica a redução dos subsídios dos vereadores dos atuais R$ 6.010 para R$ 4 mil, diminuição das férias de 100 para 30 dias, transmissão das sessões via emissora de rádio, realização de duas sessões ordinárias por semana em vez de uma, dentre outras pautas apresentadas pelo grupo à Casa de leis do município.

 

Anúncios