Michel Temer anunciou, em pronunciamento em rede nacional na tarde desta quinta-feira (18), que não irá renunciar cargo de presidente da República. O gesto ocorre depois que o dono da JBS, Joesley Batista, gravou o presidente dando aval para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB).

Marcelo-Camargo-Agência-Brasil-Michel-Temer-e1466771865236

“Não autorizei a quem quer que seja o pagamento pelo silêncio de ninguém”, disse o peemedebista durante seu discurso.

De acordo com a reportagem publicada pelo jornal O Globo na noite desta quarta (17), outra gravação feita por Batista diz que o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), teria pedido R$ 2 milhões ao empresário. O dinheiro teria sido entregue a um primo de Aécio. A entrega foi registrada em vídeo pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que o montante foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

Anúncios